quinta-feira, setembro 28, 2006

brodery genético


as décadas atravessam os séculos e o brodery, cherry,
sempre em alta.
ou melhor, na ponta, sua tonta,
arremangando punho.

9 comentários:

Anônimo disse...

se eu pelo menos pudésse....


tu sabe

Lalá disse...

digo e repito:
amo vir aqui, minina.
beijos e saudades.
Lala

Leonardo Raimundi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leonardo Raimundi disse...

...e onde estaria o cérebro das mulheres? Sem um significante já viu né? estarão eternamente na procura de uma desforra que termina na insatisfação sempre compensada pela promessa de uma nova insatisfação


(P.s: antes que eu me esqueça: eu nunca posto anônimo.)

Anônimo disse...

vamu si fu, bonecra?

hâm, hãm?

Dani Krugets disse...

as mulheres tem a rendada dentada; algema das idéias masculinas.

Anônimo disse...

Idealizamos o que vemos, ou vemos o que idealizamos, ou seja, o que tem o conhecimento a ver com a perspectiva?
ELege a resposta!

Josué

mari disse...

acho que os dois. acho que os dois o tempo todo num vai vém dentro da nossa cabeça.

chatylo rodrigues disse...

surpreendente criatividade do blog. voltarei mais vezes.