quarta-feira, junho 07, 2006

suada pele de álcool

continuando a nossa conversa que nunca iniciou, confesso que tenho sentido muitas saudades da infância e do tempo quando tudo era mais verdadeiro e não havia essa hipocrisia aos cântaros, vertendo a ladeira da existência. com licença, dalvinha, vou acender um charuto em meio ao incêndio que enegrece a tua imagem.
would like some drink? tem cachaça, tequila oro, martini, vinho cavalleri e cachaça de itapuca.
bah, pena que deixei a máquina do tempo na casa antiga. ah, máquina do tempo... só ela poderia voltar atrás e estabelecer a minha consideração genuína por ti. mas a escolha foi tua, trocaste uma parceria de data por uma suada pele de álcool. acontece. as escolhas são caminhos intempestivos, mesmo... e de repente! pum! caem de pára-quedas dois porteirões estaqueados e verdejantes, - duas trilhas de uma vez só piscando um alerta intermitente com a purpurina do Laffon. se apresentam como relógios-cucos, tic-tacs loucos e alegres, sempre pontuais abrindo portinholas convidativas a celebrar o tempo... pena que a gente sempre escolhe aquele cuja mola é mais fálica. pena essas escolhas fast food com molho branco. a gente confunde tudo. eu sou a pequena brincalhona da mola soldada, não tenho um molão, não bato um bolão, mas sou amiga acima de todas as coisas.
- mais um martini?

5 comentários:

Anônimo disse...

amigos ...

Anônimo disse...

cheia de metáforas pra dizer as tuas verdades

ROSANGELA disse...

Amiga acima de todas as coias.........


TE ADORO!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Hey what a great site keep up the work its excellent.
»